O Google Ads é sem dúvidas um dos canais de anúncios mais efetivos e econômicos para divulgar seu negócio na internet hoje. Qualquer empresa, independente do tamanho ou do segmento, pode anunciar hoje a partir de um investimento mínimo de R$ 1/Dia.

Mas anunciar com o Google Ads nem sempre significa ter bons resultados.

Com o aumento da concorrência e da complexidade da ferramenta em si, hoje é extremamente comum encontrar empresas desperdiçando seus valiosos recursos em anúncios que não trazem lucro ou, no mínimo, contatos qualificados para o time de vendas.

Se você se encontra nessa situação, onde seus investimentos na plataforma de anúncios do Google parece não trazer qualquer resultado, separamos algumas dicas que podem lhe ajudar.

Mas antes, como gostamos de ressaltar por aqui, não existe fórmula mágica e a melhor forma de saber se essas dicas são boas para o seu caso é aplicando-as, analisando os resultados e aplicando os ajustes necessários ao longo do tempo.

Agora, vamos às dicas para você melhorar de uma vez por todas seus anúncios no Google. 

1. Capriche no Copy

É impossível expressar como o copywriting influencia os anúncios do Google. Se você ainda não sabe o que é copywriting, nós explicamos. 

Copywriting é um estilo de escrita cujo o objetivo é sempre influenciar uma decisão. No Marketing, isso significa produzir textos claros e persuasivos para vender mais – ou pelo menos influenciar uma tomada de decisão, como se inscrever numa lista de e-mails, fazer uma doação, comprar um curso etc.

Especialmente nos anúncios de resultados de busca, onde não é possível usar imagens ou vídeos, o texto que você usa vai determinar onde as pessoas clicam. Lembrando que dependendo da concorrência do seu segmento você vai competir com três anúncios diferentes.

Copywriting pode ser considerado uma ciência à parte dentro do Marketing Digital e não pretendemos nos aprofundar muito nas técnicas – inclusive temos uma resenha do melhor livro brasileiro sobre copywriting.

Mas um bom começo, que apesar de simples, pode influenciar imediatamente os resultados dos seus anúncios hoje, é fazer uma lista de objeções comuns que impedem as pessoas de adquirirem seus produtos ou serviços.

Ou em outras palavras, você precisa conhecer muito bem as suas personas.

Em seguida, crie pelo menos 10 variações de anúncios (quanto mais melhor) seguindo a estrutura de NOME DO PRODUTO OU SERVIÇO + QUEBRA DE OBJEÇÃO + DIFERENCIAL DE MERCADO.

Aguarde um volume considerável de cliques nos seus anúncios e, após identificar o mais atrativo (ou seja, com maior Click Through Rate ou CTR) aloque seus recursos nele.

2. Crie anúncios responsivos

Foi-se o tempo que você precisa criar dezenas de anúncios, em diferentes formatos, para garantir uma boa visibilidade em diferentes dispositivos. Hoje, com um avanço considerável nos algoritmos, o próprio Google Ads faz isso para você.

Anúncios responsivos ajustam-se automaticamente (tamanho, aparência e formato) de acordo com o dispositivo. Ou seja, um único anúncio responsivo pode aparecer como um banner grande se a pessoa estiver em desktop ou apenas um texto pequeno, se estiver em mobile. 

Em termos de performance, os anúncios responsivos permitem que você experimente uma variedade muito maior de posicionamentos e, consequentemente, consiga encontrar um com um bom custo-benefício.

3. Configure suas conversões

Vamos deixar uma coisa bem clara: se você não tem as conversões do seu site bem configurados na sua conta do Google Ads, você não pode reclamar que os anúncios não estão funcionando.

Como assim?

Se você não informa o Google quais são as ações mais valiosas no seu site através da criação de conversões, (entrar em contato, solicitar um orçamento, baixar um eBook…) ele não vai saber exatamente para qual público mostrar seus anúncios.

Para entender melhor, vamos imaginar que você está vendendo uma camiseta personalizada do Flamengo. Então você cria um site lindo e resolve criar anúncios para todo mundo que pesquisar a palavra “camisetas do flamengo” no Google.

Nos primeiros dias você observa que seu anúncio está gerando muitos cliques para o seu site, mas ninguém ainda comprou sua camiseta. Como no Google a cobrança é por clique, basicamente você está pagando muito caro por todos esses cliques que ainda não trouxeram nenhuma venda.

Você então resolve analisar o comportamento das pessoas no seu site e percebe que 90% dos cliques são para as redes sociais do Flamengo, que você decidiu incluir no site. 

Os outros 10% dos cliques são para ampliar o tamanho da camiseta, o que sugere um interesse na mesma.

Você quer que o Google mostre seus anúncios para as pessoas com maior tendência do segundo caso e, por isso, deveria ter uma conversão que indicasse ao Google isso. Como você não fez isso, o Google está mostrando seus anúncios para qualquer pessoa que pesquisa pela palavra-chave.

Configurar as conversões pode ser desafiador se você não tem muito conhecimento técnico, mas nada que um bom tutorial não resolva. No fim, a melhoria dos seus resultados vai compensar todo o trabalho.

4. Foque nas conversões e esqueça o CPC

Um dos conceitos mais falados no Google Ads é o Custo Por Clique (CPC), que como o nome sugere significa quanto você está pagando quando uma pessoa clica em um anúncio seu. 

Como os anúncios do Google funcionam em um sistema de leilão, o CPC vai variar de acordo com inúmeros fatores e não cabe explicá-los neste texto (para se aprofundar recomendo este artigo do próprio Google).

Por hora, é importante entender o seguinte: nem sempre pagar mais caro por um clique é ruim. Isso porque na maioria dos casos um CPC caro sugere que aquela palavra-chave traz mais resultados e, portanto, merece sua atenção.

O que é caro é pagar barato por um monte de palavras-chaves que não geram conversões e, consequentemente, vendas.

Um exemplo clássico acontece no mercado de serviços gerais, como bombeiros hidráulicos, mecânicos etc. 

Muitas pessoas se assustam com o CPC dessas palavras-chave, que podem chegar a dezenas de reais por clique em horários de pico. Mas quem pesquisa por um encanador às 18h de uma terça-feira, em São Paulo, provavelmente está pronto para contratar a primeira pessoa disponível que aparecer na frente dela.

Ou seja, vale a pena anunciar para essa palavra-chave, mesmo ela sendo absurdamente cara. 

Obviamente, como sempre reforçamos por aqui, tudo é passível de experimentações e o que dá certo para a maioria pode não funcionar para o seu caso. Mas lembre-se, foque em quantas conversões (contatos, cadastros, ligações etc) determinadas palavras-chaves e anúncios trazem, independente do CPC.

Inclusive, se você conseguiu configurar suas conversões como recomendamos no último ponto, você pode usar o indicador “Custo Por Conversão” (ou CPA) – ou seja, quanto você investe para atrair gerar uma conversão no seu site.

5. Crie regras automáticas

Regras automáticas são ignoradas por 99% dos anunciantes do Google por parecerem recursos avançados e complexos de usar, mas este nem sempre é o caso.

Algumas regras automáticas do Google Ads como pausar anúncios nos fins de semana, agendar inícios e términos de campanhas com antecedência (muito útil para datas comemorativas), pausar uma campanha se ela não alcançar uma meta específica, dentre outras, são simples e podem ser configuradas por qualquer pessoa.

Este artigo (em inglês) tem um compilado interesse de regras automáticas que você pode aplicar hoje mesmo nos seus anúncios do Google Ads.

6. Experimente eliminar Search e Display Network

Quando você cria anúncios de busca no Google, automaticamente a plataforma seleciona dois posicionamentos que vão além dos resultados de busca que você vê no site do Google: o Search Network e Display Network. 

Isso é uma estratégia que o Google utiliza para explorar outros posicionamentos que, por não serem tão eficientes, são poucos explorados por anunciantes mais experientes. Ou seja, sobra para os desavisados desperdiçar recursos nesses posicionamentos.

Conversando com consultores e empresas que investem em Google Ads, nunca encontramos um caso de sucesso com o Search Network e Display Network. 

Portanto, experimente desativar esses posicionamentos em seus anúncios de busca e compare os resultados após pelo menos um período de 20 dias. Este é o tempo mínimo que recomendamos para tirar qualquer conclusão.

Experimentar é o caminho para melhorar seus anúncios no Google Ads

Tem muito mais dicas mas, por hora, essas são suficientes para você ver os resultados dos seus anúncios no Google melhorarem hoje mesmo.

Lembre-se, nenhum negócio é igual e muitas coisas podem variar de acordo com o seu produto, serviço, diferencial de mercado, demografia, geografia e orçamento. Por isso, a melhor dica que podemos dar é: experimente cada uma das dicas e tire suas próprias conclusões.

Não existe fórmula mágica no Google Ads, mas esperamos que essas dicas possam ter ajudar a alcançar um resultado melhor do que os seus atuais.


Fechar Menu