Parte importante do gerenciamento de campanhas em redes sociais é saber acompanhar as novas tendências das plataformas e dos usuários. Pensando nisso, o SocialBakers fez um compilado de análises sobre Facebook e Instagram e entregou alguns dados relevantes para o ano de 2019.

Para começar, há uma diferença fundamental entre as plataformas. Enquanto o Facebook tem um número de usuários superior a 2 bilhões, o engajamento dos usuários é menor, e o Instagram, mesmo com um número de usuários ainda menor que 1 bilhão, tem uma média de engajamento e atividade mais alta, como mostra o gráfico abaixo.

Quanto aos segmentos, uma diferença considerável nos nichos: beleza e fashion são uma grande parcela do mercado do Instagram, e o Facebook ainda tem como maior contribuinte os e-commerce.

Em termos de investimento em anúncios, o Facebook ainda lidera, com uma parcela considerável da verba. O que muda é a porcentagem,  e há uma tendência visível nisso: o Instagram cresceu de 2017 para cá, ganhando mais espaço tanto no feed quanto nos stories.

Na parte de conversão, algo que já é discutido a algum tempo, mas que se mostra como realidade quase absoluta agora: dispositivos móveis são o futuro. Em termos de impressão de anúncio, mais de 90% em smartphones. No custo por clique, mais baixos nos celulares que nos computadores.

Apesar das promessas de conteúdo em vídeo dominar a web, as fotos ainda são a melhor maneira de converter em anúncios (e por isso a principal escolha). Ainda assim, em setembro de 2018, os vídeos alcançaram o mesmo desempenho.

Já no Instagram, o número de anúncios subiu consideravelmente, alcançando quase 50% dos perfis profissionais registrados. Conforme a audiência cresce, cresce também o número de anúncios.

O alcance dos posts orgânicos e pagos também vem mudando, sendo que os anúncios tiveram queda considerável no início de 2018, mas voltaram a ter um bom rendimento ao fim do ano. É importante, contudo, que estratégias mistas de conteúdo pago e orgânico sejam adotadas.

Marcas e veículos de comunicação vêem o engajamento cair consideravelmente ao longo de 2018, isso é resultado direto do novo algoritmo do Facebook, que prioriza amigos e família no feed. Esse resultado, contudo, já era previsto pela plataforma e pelos profissionais, e se comprova através dos dados.

No Instagram, o feed ainda é o local de maior engajamento e conversão, mas conforme os influencer e marcas adotem os stories, a previsão é de crescimento da nova ferramenta.

Note abaixo como o primeiro gráfico mostra um influencer com seguidores pagos. Depois do pico de seguidores, o número de interações se manteve praticamente igual, o que significa que esses usuários não interagem com o conteúdo. No segundo gráfico, após o pico, há um aumento no engajamento.

O ideal para saber se você está lidando com um falso influencer ou não é fazer um acompanhamento nos posts dos últimos seis meses ou um ano.

Para ler o relatório completo, acesse o estudo da SocialBakers. Todos os gráficos e informações foram retirados do e-book disponível para download gratuito lá.

Mais artigos e informações sobre anúncios e redes sociais no blog.

Fechar Menu