Nada Easy é escrito por Tallis Gomes e aborda, em conversas práticas, o cenário empreendedor no Brasil. O pano de fundo da narrativa, como não podia deixar de ser, é o Easy Taxi. O aplicativo, criado por ele, revolucionou a indústria taxista. 

Antes de falar sobre a obra, em si, vale lembrar que Tallis Gomes foi eleito um dos jovens mais inovadores do Brasil, Empreendedor do Ano por dois anos consecutivos no LIDE, por João Doria, e considerado pela revista Galileu uma das 25 pessoas mais influentes da internet brasileira. 

Do que se trata “Nada Easy”?

No livro Nada Easy, o garoto prodígio desenvolve um passo a passo de como levar o empreendedorismo para a prática, com todas as suas dores e delícias. Quem está pensando em abrir um novo negócio, ou precisando lapidar sua veia empreendedora, pode ver na obra um guia prático para abrir, escalar e gerenciar uma startup no país que é considerado, pelo autor, como “país da burocracia e das taxas de juros gigantescas”.

Ao longo do livro, Tallis traz conta ideias que surgiram a partir de suas próprias experiências, principalmente à frente da Easy Taxi. Ele discursa sobre a possibilidade de crescer começando debaixo – e com conhecimento de causa. O autor vem de família humilde e sempre teve um contexto de dificuldades. É daí que surge a frase “o rock salvou a minha vida”.

Acreditando que o maior combustível para fundadores de empresas com potencial de crescimento é a obsessão pelo problema, ele narra o começo de sua trajetória de obstinação. A vontade de tocar Nirvana em uma escola religiosa, quando mais novo, foi um problema que Tallis se empenhou arduamente em resolver. Mas, para tanto, era preciso comprar uma bateria. O dinheiro para o instrumento veio de vendas de celulares pelo Mercado Livre – que, na época, tinha acabado de ser lançado. 

Tallis conta que, a partir dos discursos de venda, aprendeu a gerar confiança no que falava. Assim, dessa época, diz trazer enormes aprendizados, como a habilidade de negociar. 

Não é nada easy ter uma ideia viável

Tallis Gomes foi responsável por levar o Easy Taxi para mais de 35 países e, ainda assim, assume que o Brasil é um dos países mais difíceis de empreender no mundo. Se aprofundando nessas dificuldades, aborda uma dor de muitos empreendedores: ter uma ideia viável. 

Há muitas pessoas com grandes ideias, mas que enfrentam uma enorme dificuldade ao viabilizá-las e criar grandes negócios. É para elas que Tallis dá o conselho: pense em oportunidades de negócios ao pensar em problemas ainda não resolvidos. 

O próprio Tallis, por exemplo, configura seu exemplo. Antes do Easy Taxi, ele era gerente de marketing da Ortobom . Lá, percebeu que sair para comprar colchão era um problema para várias pessoas – e sugeriu o que culminou na criação do primeiro e-commerce da empresa.

A Easy Taxi também surgiu em um contexto parecido: o jovem não encontrou táxi quando precisou do serviço em uma situação de emergência. 

Assim, o autor fornece um passo a passo para desenvolver uma boa ideia, indicando, por exemplo, o primeiro contato com o mercado, para dimensioná-lo e entender se a ideia vale a pena. Além disso, também expõe sobre o Canvas e a importância de entender a proposta de valor, enxergar o equilíbrio entre os custos e a receita e outros detalhes do tipo.

Tirando a ideia do papel

Em outro momento de Nada Easy, Tallis Gomes dá dicas e conselhos para transformar a ideia em produto. O primeiro deles é construir o MVP, ou Produto Mínimo Viável, que permita resolver parte do problema a um preço baixo e mantendo o foco na descoberta de sua própria necessidade. Nesse momento inicial, segundo ele, vale seguir a máxima: feito é melhor que perfeito.

No decorrer da obra, o autor dá dicas práticas para recrutar as pessoas ideais ao time, sugerindo três pontos comportamentais para analisar durante a fase de recrutamento: 

  1. Inteligência ou capacidade de aprendizagem, sendo isso mais importante que experiência;
  2. Engajamento com alguma causa e alinhamento com a missão, já que uma pessoa inteligente, mas sem vontade, não resolve o problema;
  3. Independência para trabalhar e realizar entregas.

E ressalta: no momento inicial de uma empresa, são necessárias pessoas que estejam bem dispostas a “arregaçar as mangas” para fazer acontecer. 

Escalando o mundo dos negócios

No livro, Tallis Gomes também fala sobre os investidores como uma maneira de conseguir dinheiro para a sua startup. Uma de suas dicas é enviar e-mail para os investidores, individualmente, se apresentando e revelando sua proposta. 

O autor também dá dicas de como escalar seu negócio a partir do processo vivido pela Easy Taxi. A empresa investiu, inicialmente, no bom contato com os taxistas, por exemplo.

As sugestões chegam ao plano criativo, já que Tallis fala sobre buscar o crescimento acelerado da empresa a partir de análise de dados e testes a partir da metodologia growth hacking.

Nesse contexto, recomenda aplicativos e sites que possam ajudar na estratégia e, também, coletar dados, como o Google Trends.

Por fim, Tallis Gomes fala sobre o momento de deixar a startup ir embora; se ela for bem-sucedida, será vendida, em algum momento. Esse é o ciclo dos negócios escaláveis na vida real. E, quanto mais sua ideia valer, nesse ponto da trajetória, mais você saberá que fez a diferença.

Para mais informações sobre negócios e marketing, confira outros conteúdos e resenhas. Veja também: Marketing Digital Na Prática, de Paulo Faustino.

Compre o livro do Tallis Gomes no link abaixo e ajude o Portal Insights.

Fechar Menu