Facebook muda regras para anúncios políticos após controvérsia recente

Facebook muda regras para anúncios políticos após controvérsia recente

A políticas de anúncios para “branded content” mudaram no Facebook depois que o candidato a presidência dos Estados Unidos, Mike Bloomberg, explorou uma falha na maneira como a rede social gerenciava esse tipo de anúncio recentemente. Essa não é, inclusive, a única estratégia inortodoxa do candidato, como já mostramos em outra notícia.

“Branded content” é como o Facebook chama anúncios de parcerias entre marcas e contas de influenciadores. Basicamente, as marcas (ou políticos) entram em contato com as páginas de grande alcance e trocam divulgação por pagamentos.

De maneira geral, o Facebook não considera esse tipo de parceria um tipo de anúncio ou publicidade e, com isso, Bloomberg pôde explorar um novo nicho para sua campanha.

A estratégia da equipe do político envolvia entrar em contato diretamente com as marcas e perguntar se estariam interessados em fazer uma postagem em formato de meme/humor com alguma foto do candidato (previamente enviada).

A ideia, aparentemente, era apelar a um público mais jovem através de um humor quase auto-depreciativo e gerar conteúdo replicável e fácil de ser reproduzido. Contudo, depois que algumas páginas expuseram a prática de Bloomberg e sua equipe de marketing, o Facebook precisou tomar medidas quanto a isso.

A relação da empresa com as eleições norte-americanas é sensível desde que denúncias mostraram a ligação de envolvimento estrangeiro e a ascensão de Donald Trump à presidência dos EUA.

Além disso, a empresa continua se envolvendo em polêmicas com peças de marketing político ao se recusar a remover informações falsas difundida por candidatos e não estabelecer uma política clara para lidar com fake news.

Agora, para realizar “branded content”, será necessário passar por uma plataforma regulatória, onde as páginas criadoras de conteúdo e os perfis com interesse em divulgação terão que se conectar, mantendo um registro dessa atividade.

O Facebook como empresa não ganha diretamente com esse tipo de postagem, seja na rede social ou no Instagram, e novas medidas podem ser tomadas no futuro para garantir ainda mais controle da empresa sobre anúncios.

Para mais informações sobre marketing e negócios, acesse o Portal Insights e assine nossa newsletter pelo campo abaixo.

Fechar Menu