Com seus 2.32 bilhões de usuários ativos, o Facebook é provavelmente a empresa com o maior volume de dados sobre os seres humanos, incluindo informações demográficas de interesse, padrões de comportamento e histórico de compras.

Isso, obviamente, torna o Facebook Ads uma das ferramentas mais poderosas quando o assunto é veicular anúncios para um grande número de pessoas a partir de um investimento baixo (atualmente você pode anunciar no Facebook investindo apenas R$ 1 por dia). Sem falar, é claro, das quase infinitas possibilidades de segmentação de público, posicionamento dos anúncios, tipos de mídia e configurações de lance.

Mas esse mundo de possibilidades dentro do Facebook Ads, que à primeira vista pode tornar a plataforma de anúncios quase irresistível para pequenas e médias empresas, também é considerado por muitos seu maior ponto fraco: não é raro encontrar empresas e profissionais de marketing confusos sobre o que, como, quando e onde publicar seus anúncios.

Essas pessoas são atraídas pela acessibilidade e baixo custo da plataforma, criam anúncios sem muito critério de qualidade e não dedicam o tempo necessário em configurações de posicionamento e lance. No fim, concluem que “Facebook Ads não funciona mais”.

Meu objetivo é mudar um pouco essa mentalidade e sugerir alguns hacks para Facebook Ads que funcionam em 90% dos casos quando aplico nos anúncios dos meus clientes – e você também pode aplicar hoje.

Lembrando que não existe fórmula mágica e você só vai saber se as dicas irão funcionar para o seu negócio por meio de experimentações no contexto do seu negócio.

1. Exporte sua lista de contatos do Linkedin para criar um Público Semelhante

De longe, um dos erros mais comuns que vejo pessoas cometendo ao anunciar no Facebook é não criar antes um Público Semelhante a partir de uma lista de e-mails, popularmente conhecido como “lookalike”.

Sim, o Facebook vai oferecer algumas opções de ferramentas para quem não contar com uma lista de e-mails para criar um público mais qualificado, mas quem já experimentou anunciar desta forma sabe que isso raramente é efetivo.

Por isso, minha recomendação é sempre usar um Público Semelhante em suas campanhas, mesmo que este não seja o mais qualificado do mundo. Se você ainda não tem uma lista de e-mails de leads e/ou clientes, um bom começo é usar o seu Linkedin.

  • Entre na sua conta do Linkedin e clique em “Minha Rede”, no menu superior;
  • Clique em “Conexões” na coluna da esquerda;
  • Clique em “Gerenciar contatos sincronizados e importados”, na coluna da direita;
  • Clique em “Exportar contatos” abaixo de “Ações avançadas” na coluna da direita;
  • Marque apenas a opção “Alguns” e “Conexões”;
  • Clique em “Solicitar arquivos”.

Após alguns minutos, (o tempo vai depender da quantidade de conexões que você tem) volte a este painel e clique em “Iniciar download”. Pronto, agora você já tem uma lista de e-mails para começar!

Talvez você precise “arrumar” a tabela de leads, eliminando os campos em branco e e-mails duplicados. O processo pode ser um pouco chato dependendo da quantidade de conexões, mas, acredite em mim, vai valer a pena.

Com a lista de e-mails devidamente editada, a próxima etapa é criar um Público Personalizado e um Público Semelhante no Facebook. Para não repetir o que o próprio Facebook já ensina em sua Central de Suporte, veja os tutoriais abaixo:

Lembre-se de criar o Público Semelhante a partir do Público Personalizado e marcar a variação de 1% no “Tamanho do público”.

Pronto, agora você já não precisa perder tanto tempo e dinheiro com a curva de aprendizagem do Facebook Ads até encontrar o público certo para suas campanhas.

2. Deixe seus anúncios mais orgânicos

Sabe aquela arte toda sofisticada que você passou horas fazendo no Illustrator? Sinto muito lhe dizer isso, mas vários relatos de profissionais de marketing e minha experiência com dezenas de clientes tem mostrado, cada vez mais, que ela é inefetiva para atrair atenção e engajamento nos anúncios do Facebook.

Sim, ela pode ser bonita e impressionar seus colegas de trabalho, mas é mais provável que ela distancie o seu público-alvo do que ajude na taxa de conversão.

Eu poderia dissertar por horas sobre os porquês mas basta eu fazer uma pergunta: quando você está navegando no Facebook ou Instagram e aparece uma timeline uma imagem super colorida, com efeitos especiais e fontes de textos super sofisticados, qual é o seu primeiro pensamento?

  • “Opa, um anúncio! Não foi isso que eu vim ver no Facebook.”
  • “Que interessante, deixa eu saber mais.”

Alguns podem dizer que um pensamento não interfere no outro (pela natureza de minha profissão, eu mesmo adoro ver anúncios) mas a verdade é que ninguém que está nessas redes sociais quer sair delas, muito menos sair delas para comprar alguma coisa.

Por isso, um bom hack é deixar seus anúncios mais orgânicos com imagens de baixa qualidade (isso mesmo você não leu errado) e textos mais pessoais, com emojis e figuras de linguagem comuns aos usuários dessas redes sociais.

Mas e se a comunicação da minha empresa for mais corporativa? Vale a pena quebrar o branding?

Bem, se a comunicação da sua empresa é mais corporativa você deveria repensar, em primeiro lugar, se vale a pena mesmo anunciar no Facebook.

Mas jamais deixe o branding de lado, consistência é mais importante do que algumas pessoas gostam de imaginar.

Um exemplo recente foi uma campanha no estilo meme que fiz para um cliente do segmento de aplicativos para controle de ponto. Após testar artes mais sofisticadas e diferentes chamadas, esta versão simples foi que a mais trouxe novas experimentações.

3. Selecione somente pessoas conectadas a Wi-Fi em alguns casos

Este hack é mais específico para quem deseja atrair leads por meio de eBooks e outros materiais que a pessoa precisa baixar: selecionem “Somente conectados a Wi-Fi” no Posicionamento nas configurações de público dos seus anúncios.

Por quê?

O Brasil é um dos países em desenvolvimento com a pior internet do mundo. Para começar, quase 70 milhões de brasileiros sequer tem acesso à internet – quem dirá uma internet de qualidade.

Quem dirá, mais ainda, uma internet móvel de qualidade.

Portanto, quando você for rodar uma campanha desta natureza, selecione “Somente conectados a Wi-Fi” na etapa de Posicionamento. Além disso, evite usar palavras como “download” e “baixar” (substitua por “acesse” ou “veja”) e no botão de chamada deixe o bom e velho “Saiba Mais”.

Espero que vocês possam aproveitar os hacks em seus anúncios no Facebook e que a partir de hoje você não seja mais a pessoa que diz frases como “Facebook Ads não funciona!”.

Fechar Menu