Quem acompanhou os últimos materiais no blog, já percebeu que eles são mais úteis para especialistas e pessoas inseridas no mercado. Esse vídeo de hoje é um pouco diferente, ele serve tanto para quem põe a mão na massa, um analista, um consultor, quanto para o empresário em si, que tem uma equipe, gerencia um time e precisa entender melhor o que tá acontecendo.

O primeiro erro é mexer em time que está ganhando

Mas o que eu quero dizer com mexer em time que tá ganhando?

É muito comum no mercado e em agências de marketing digital a ideia de que os anúncios precisam ser reinventados sempre. Diariamente, semanalmente, mensalmente, a gente precisa criar novos anúncios sempre.

Apesar disso ter uma parcela de verdade, sim a gente precisa testar anúncios, criar novos anúncios e sempre tentar ter o máximo de retorno possível no nosso investimento em Facebook Ads, não necessariamente a gente precisa desativar nossos anúncios que deram certo no mês passado.

Se eu tenho um anúncio que é atemporal, que não depende de época do ano, se ele dá certo e traz leads, vendas e visitas no site, independente do seu objetivo, com um custo vantajoso, não tem porque desativá-lo.

Desativar um anúncio só porque ele é antigo não faz sentido algum na minha opinião. Um anúncio sobre a Copa do Mundo não faz sentido manter depois do evento, mesmo com custo baixo, mas um exemplo que não tem nada a ver com eventos temporais, como um ebook de “Como reduzir custos em RH”, por exemplo, é um anúncio atemporal de um problema que continua existindo e não faz sentido desativar ele.

Pode parecer óbvio, mas isso acontece e as pessoas desativam os anúncios só porque eles são antigos.

O segundo erro é relacionado ao investimento em si

Quando eu pego um novo projeto, gosto sempre de deixar claro pro cliente que o investimento não precisa ser linear todo o mês.

O que eu faço é investir pouco no início, e eu só invisto mais dinheiro quando eu vejo que um anúncio tá trazendo bons retornos com um custo beneficio legal.

Então, se eu testo três campanhas para verificar gatilhos mentais, e vamos supor que tenho 900 reais por mês, ao invés de já começar investindo 300 reais por mês em cada anúncio e gastar todo o dinheiro, eu vou investir 100 reais por mês e só vou pôr mais dinheiro quando o custo benefício estiver legal.

Pode acontecer também de um anuncio dar mais certo que o outro, converter mais que o outro, então eu vou alocar dinheiro pros que trazem mais resultado, mas não vai ser de forma linear.

Para ser mais direto: você não precisa usar todo seu orçamento de uma vez só – você pode começar com pouco nos primeiros quinze dias e depois investir o resto nos anúncios com os melhores resultados.

O terceiro erro é não dar tempo para o Facebook aprender e otimizar seus anúncios

Hoje é muito óbvio que os anúncios do Facebook tem uma tendência de, seja pra lead venda ou clique, diminuir com o tempo.

Isso acontece porque o Facebook usa machine learning para aprender com erros e acertos. Se você deixar o Facebook ativo por trinta dias, ele vai aprender com os dados adquiridos e em 99% dos casos ( e sendo bem honesto nunca vi esse 1%), nos outros trinta dias você vai ter resultados melhores ainda.

Então, fica a dica: se você tem um anúncio que está dando certo, quanto mais tempo deixar ele ali, melhor vai ser seu resultado.

O quarto erro está um pouco relacionado ao primeiro e pode parecer um pouco contraditório, mas…

… o quarto erro é não testar o suficiente

Quando você cria anúncios no Facebook, sua chance de acertar de primeira é quase 0, então o que eu recomendo é criar variações de anúncios para, ao longo do tempo, e isso pode ser no período de uma semana, determinar qual tem o melhor resultado e qual tem o pior para focar numa estratégia mais assertiva e mais econômica.

Isso não quer dizer que você deva desativar todos os anúncios que cria. Você vai desativar só os que têm um desempenho ruim.

Geralmente, o tempo que precisa pra saber o desempenho de uma campanha é de uma semana. Então, se eu criar um anúncio hoje para sabão em pó, eu vou criar variações de chamadas, de imagens e CTAs, de tudo que for possível e fizer sentido para o cliente.

Dali uma semana, eu vou verificar qual rendeu melhor e descobrir se vale mais levar para o Whats App ou para o Messenger; se funcionou mais falar da roupa limpa ou da praticidade. Isso tudo são testes que não devem ser parados.

O quinto erro é se prender muito a detalhes

Eu vejo muitas empresas e profissionais da área se atendo a detalhes mínimos, parando anúncios por até uma semana, quando na prática não vão afetar efetivamente a campanha.

Um exemplo que vi recentemente conversando com colegas da área era de um anúncio que estava pronto, o site tava pronto, o link estava parametrizado, mas o cliente não quis liberar o anúncio porque eles não tinham o código HTML da cor da marca.

É um detalhe mínimo que não vai afetar no resultado final e as pessoas deixam de colher esses resultados mais cedo ou geram estresse desnecessário por questões assim.

Apesar da gente sempre querer perfeccionismo e as melhores imagens, temos que lembrar que o Facebook é uma mídia para gerar lucro, para gerar resultados, então você tem que testar várias formas e não focar em detalhes que atrasam esses resultados.

Até porque muitas vezes os resultados vêm de anúncios que a gente acha que não vão dar tão certo, e sendo um pouco imprevisível assim, esse é um dos casos em que perfeccionismo mais atrapalha do que ajuda.

O sexto erro é sobre rastrear os resultados que consegue com o Facebook Ads

Se você criar anúncios no Facebook sem rastrear, sem instalar os pixels e parametrizar os links pra ver os resultados no Google Analytics, terá resultados pobres que vão acompanhar a pessoa só até o momento em que ela saiu do Facebook. Depois que ela clicou no anúncio e entrou no site, você perde qualquer capacidade de rastreamento.

É um assunto um pouco complexo que eu não vou entrar aqui, mas sugiro pra quem não sabe desse assunto pesquisar sobre os pixels do Facebook e os UTMs do Google, esse é um conhecimento indispensável para você que quer otimizar seus anúncios do Facebook e na internet de maneira geral.

O sétimo e último erro está relacionado a uma coisa um pouco sentimental que eu vejo com muita frequência.

O sétimo erro é se apegar sentimentalmente às suas campanhas

Hoje mesmo eu estava conversando com uma cliente e enquanto mostrava alguns parâmetros e métricas, eu disse “não tá dando certo, vamos cancelar essa promoção, bola pra frente. Esse anúncio não traz retorno pra vocês”, e ela disse “ah, mas deu tanto trabalho para produzir”. Foi quando falei que “tá, mas não pode se apegar a certas coisas só porque deu muito trabalho. Bola pra frente, não dá pra você ter prejuízo porque se apegou a um conteúdo que deu trabalho ou trouxe boas experiências produzindo”.

O Facebook é uma mídia que serve pra te dar lucro, e se não tá te dando lucro, não adianta fazer esse investimento em Facebook Ads.

Inclusive, houve casos de eu dispensar totalmente o Facebook Ads para certos clientes porque não trazia resultados. Então, muito cuidado pra não se apegar a certos materiais e ao Facebook Ads como um todo.

Esses foram os sete erros que eu preparei hoje. É claro que existem outros vários, porque o Facebook é uma ferramenta complexa, e muita gente ainda comete erros, especialmente no Brasil, mas esses sete erros já são suficientes para abrir seus olhos e prestar atenção.

Qualquer dúvida ou complemento a área de comentários abaixo está aberta e se for do seu interesse e o conteúdo e te ajudou em algo, é muito válido compartilhar com seus amigos no Linkedin, no Facebook e em outras redes sociais.

Caso queira conferir mais conteúdos, verifique meu canal no Youtube.

Fechar Menu