Não se sabe exatamente qual foi o “marco zero” do Marketing Digital mas, usando um pouco de pensamento lógico, ele provavelmente surgiu quando a primeira pessoa visionária decidiu usar uma tal de “internet” para divulgar sua marca, produtos ou serviços – ou até mesmo suas ideias.

Uma pesquisa rápida no Google nos diz que a primeira internet foi criada em 1969 para conectar a Universidade da Califórnia com Instituto de Pesquisa de Stanford, com o objetivo (assim como as maiores inovações da história) de facilitar a troca de informações em estratégias de guerras.

Inclusive, foi neste ano que o primeiro e-mail da história foi enviado.

Na década de 90, o físico britânico Tim Berners-Lee desenvolveu o primeiro browser e, a partir disso, a internet passou a ser mais acessível às pessoas comuns, que começaram a usar esta nova tecnologia inicialmente para se comunicar entre si.

E onde existe comunicação, existe marketing. E se o marketing é feito na internet, podemos concluir que o Marketing Digital surgiu na década de 90.

Hoje, o termo “marketing digital” é procurado no Google cerca de 500 mil vezes por mês e dezenas de ferramentas surgem anualmente para ajudar pessoas e empresas a entrarem com tudo nesta nova estratégia.

Mas será que Marketing Digital pode ser considerado uma estratégia? Neste texto vamos responder essa pergunta, além de outras mentiras que contam por aí sobre Marketing Digital.

1. Marketing Digital é uma estratégia

Para entender o porquê do Marketing Digital não poder ser considerado uma estratégia, antes precisamos entender um dos conceitos teóricos mais importantes do Marketing: o Marketing Mix.

Parafraseando a Wikipedia, o Marketing Mix “é um conjunto de variáveis controláveis que influenciam a forma como os consumidores respondem ao mercado e consiste naquilo que a empresa pode fazer no sentido de influenciar a procura pelo seu produto, visando alcançar o nível desejado de vendas junto do seu mercado-alvo.”

O conceito foi criado pelo professor Jerome McCarthy e difundido por Philip Kotler em seus livros. O Marketing Mix representa, basicamente, os quatro pilares fundamentais de qualquer estratégia de Marketing (também conhecidos como 4 P’s do Marketing).

  • Preço;
  • Praça;
  • Produto;
  • Promoção.

Dentro desse contexto, que até então é o mais completo que conhecemos hoje para entender marketing, o “Marketing Digital” entraria na categoria de Praça, que pode ser entendido como “canal” ou “mídia”.

E o que isso muda na sua vida?

Em primeiro lugar, ao entender que Marketing Digital não é uma estratégia você consegue enxergar de forma mais clara qual será o seu papel dentro do marketing de sua empresa – seu orçamento, metas, ROI etc.

E, principalmente, você deixa de acreditar que o Marketing Digital substitui todas as outras variáveis que determinam o sucesso do marketing. Só para citar alguns exemplos: precificação com base em mercado e sazonalidade, reconhecimento de marca em eventos e peças impressas, desenvolvimento de produto, sucesso do cliente e estratégia comercial para vendas.

2. Marketing Digital é mais fácil e barato do que o “marketing tradicional”

Aqui precisamos entender, em primeiro lugar, que “barato” ou “caro” são conceitos totalmente relativos.

Sem querer entrar muito nos cálculos, veja um exemplo bem prático:

Investir em banners na rede de Display do Google pode ser considerado barato quando vemos o CPC (Custo Por Clique) inferior aos outros posicionamentos mas, se levarmos em conta que o CTR (Clique Por Impressão) não passa de 0.5%, enquanto o posicionamento na busca do Google pode ser até 20% em alguns mercados, o barato acaba saindo caro.

Recentemente, tive a oportunidade de ver com os meus próprios olhos a força que a mídia impressa ainda tem em alguns mercados. Uma amiga me pediu ajuda para investir R$100 em anúncios no Google durante um dia e, paralelamente, distribuiu cartões de visitas em algumas faculdades da cidade – o investimento dos cartões foi de aproximadamente R$300.

É claro que aqui estamos deixando de considerar vários fatores mas, em um dia, usando uma estratégia digital e outra offline, ela conseguiu 10x mais contatos pelos cartões de visitas do que pelos anúncios no Google.

À primeira vista, os cartões de visitas seriam considerados caros, especialmente se levarmos em consideração o tempo e esforço em distribuí-los fisicamente pela cidade. Mas, no fim das contas, eles saíram mais baratos que os anúncios no Google.

Obviamente, estamos deixando de considerar vários fatores como sazonalidade, público-alvo, curva de aprendizagem etc. Mas o exemplo é para ilustrar que nem sempre (e eu tenho dezenas de outros casos para ilustrar) o Marketing Digital é mais barato que o offline.

3. Marketing Digital significa estar presente nas redes sociais

Chega a ser difícil conceber o uso do Marketing Digital como canal de comunicação sem a presença das redes sociais. Afinal, por muitos anos ouvimos de agências e empresas que vendem ferramentas de social media que é indispensável ter páginas e perfis nas redes sociais para nos relacionarmos com clientes.

Mas acredita em mim, tem muita empresa por aí faturando milhões de reais por ano sem sequer ter uma página oficial no Facebook.

Isso porque as redes sociais contam com algumas desvantagens, como por exemplo a redução do alcance orgânica (ou seja, aquele que você não investe em anúncios) das postagens para perfis empresariais e o público extremamente nichado.

Você consegue imaginar, por exemplo, um restaurante famoso do Rio de Janeiro procurando por fornecedores de utensílios de cozinha no Instagram? Sim, pode acontecer, mas conhecendo este mercado a fundo eu posso afimar que é raro – estamos falando de um mercado movimentado por representantes comerciais e processos de vendas bem complexos.

Obviamente, se os recursos financeiros de uma empresa fossem infinitos e não houvesse necessidade de priorizar investimentos com base em custo-benefício, o ideal seria estar presentes em TODOS os canais.

Mas se for para escolher, em alguns casos, nem sempre o esforço e custo envolvido para estar presente nas redes sociais vale a pena.

Bônus: Por que agências de Marketing Digital não funcionam

Para finalizar, deixo aqui uma recomendação de vídeo da V4 Company, uma de nossas maiores referências quando o assunto é marketing e vendas.


Fechar Menu